Augustinopolis-TO, sábado, 24 de fevereiro de 2018

Publicidade

Blog´s

Publicidade

Educação

Acadêmicos do curso de Direito e Bibliotecária da Fabic participam do projeto Incentivo à Leitura na Cadeia Pública em Araguatins

16/08/2017 17h37 | Atualizado em: 16/08/2017 17h40

Foi implantado na cadeia pública de Araguatins, o projeto do Campus Araguatins, do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), “Porta aberta”, em parceira com Ministério Público do Estado do Tocantins – Regional de Araguatins, Delegacia de Polícia de Araguatins e Juiz de Execução penal da Comarca de Araguatins.

 A solenidade contou com a participação de apenados, do diretor geral substituto do Campus Araguatins, Francisco de Assis Feitoza Amaral, da coordenadora do projeto, Maristela Tavares Gonçalves, da juíza da Vara Criminal e diretora do fórum de Araguatins, doutora Nely Alves da Cruz, do diretor da Cadeia Pública de Araguatins, Idélio Andrade de Sousa, do promotor de justiça, doutor Breno Oliveira Simonassi, da representante da seção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cristiane Aparecida, das servidoras do Campus Araguatins e colaboradoras do projeto, Aline Correira, da Bibliotecária da Faculdade do Bico do Papagaio (Fabic), Elma Vital e do acadêmico do curso de direito e também colaborador do projeto, Manoel Eugênio Gonçalves.

“O objetivo do projeto é ofertar livros diversos de forma a promover a leitura entre as pessoas privadas de liberdade, contribuindo com o desenvolvimento da personalidade, fortalecendo os direitos humanos e como forma complementar de remição de pena”, afirmou a coordenadora do projeto, Maristela Tavares, durante a solenidade.


Porta Aberta

O projeto funcionará da seguinte forma: serão feitos empréstimos de livros para os apenados, que após a leitura produzirão resenhas a respeito do livro que leram. Tendo cada apenado direito a 01 (um) livro e confecção de 01 (uma) resenha mensal para efeito de remição de pena. As normas preveem que o detento terá o prazo de 21 dias corridos para a leitura de uma obra literária disponibilizada pelo Campus Araguatins- Projeto Chiquinha Gonzaga, com livros pré- selecionados pela Promotoria e Defensoria. As atividades do projeto contarão com o apoio do projeto Brasil Alfabetizado executado pela Delegacia Regional de Ensino (DRE) de Araguatins.

Para cada resenha avaliada positivamente, o encarcerado terá remição de 1(um) a 4 (quatro) dias da pena, dependendo da gravidade do delito cometido – sendo este item avaliado pelo Ministério Público e pelo Juiz de Execução Penal, previamente, durante a confecção da listagem codificada dos apenados.


Deixe seu comentário